Banner 18 abril, 2022
por Redação PerifaCon

Perifacon participa de releitura da Semana de Arte Moderna do Theatro Municipal

A exposição irá traduzir para o contexto atual a Semana de Arte Moderna de 1922. No dia 18/04 abre a exposição “Contramemória”, com curadoria de Lilia Schwarcz, Jaime Lauriano e Pedro Meira, que acontece aqui no Theatro Municipal de São Paulo, no Salão Nobre. “Contramemória” conta com cerca de 115 obras, entre pinturas, vídeos, esculturas, […]

 

A exposição irá traduzir para o contexto atual a Semana de Arte Moderna de 1922.

No dia 18/04 abre a exposição “Contramemória”, com curadoria de Lilia Schwarcz, Jaime Lauriano e Pedro Meira, que acontece aqui no Theatro Municipal de São Paulo, no Salão Nobre.

“Contramemória” conta com cerca de 115 obras, entre pinturas, vídeos, esculturas, desenhos e objetos, que pretendem reler e traduzir criticamente, para o contexto atual, o ambiente cultural da Semana de Arte Moderna de 1922.

A Perifacon foi convidada para participar da exposição Contramemória para contribuir na escolha e divulgação de artistas que representassem o que há de mais Modernista em nossa cultura, a revolução cultural que vem de nossas periferias. Nesse sentido, a Perifacon contribuiu com 16 trabalhos que trazem releituras de artistas periféricos e geeks.

Confira a lista de artistas selecionados pela PerifaCon e também quais artes criadas por eles estarão expostas:

Dina Di (Keyth Felix)
• Danny Bond (Rayssa Molinari)
• Elza Soares (Partes)
• Daleste (Lukera Andrade)
• Carolina Maria de Jesus (Mity Dias)
• Zeca Pagodinho (Calvet)
• Linn da Quebrada (Luci)
• Tati Quebra-Barraco (Saudade³)
• Alcione (Jéssica Góes)
• Racionais Mc’s (Mano Lima)
• Jorge Lafond (Lupiiino)
• Lasar Segal (Lourenço Gouveia)
• Chico Science (Pupa)
• Lélia González (Dapenha)
• Mario de Andrade (Deley)
• Lia de Itamaracá (Bennê Oliveira)

Para a PerifaCon é uma honra fazer parte da história da disputa do que significa arte e contramemória:

Nosso evento nasce da disputa do entretenimento para todes, e conseguir ocupar o teatro municipal com artistas periféricos é mais um passo nessa disputa da democratização da cultura.

Andreza Delgado, co-fundadora do PerifaCon

A exposição ocupa a histórica arquitetura do Theatro e traz para o espaço novas visões e narrativas que também se debruçam sobre a identidade nacional, tema tão importante para o movimento de 1922.

A abertura no dia 18/4 terá visitas mediadas pelos curadores. São 50 ingressos por período de visita com limite máximo de 2 ingressos por pessoa. Confira os horários disponíveis no site do Theatro Municipal de São Paulo.

A visitação acontece de terça a sexta, das 11h às 17h (permanência até 18h). Sábado e domingo, das 10h às 15h (permanência até 16h). As visitas são somente mediante a retirada de ingressos.